Dicas de alimentação: A mastigação e o desenvolvimento da fala.

É muito comum encontrar mães no consultório perguntando o motivo do atraso (ou dificuldades) na fala dos seus filhos. Por isso separamos algumas dicas de alimentação para os seus pequenos que podem evitar determinadas alterações.

A alimentação mais comum entre as crianças são itens como mamadeira, iogurtes, entre outros que praticamente derretem na boca.

Mas o que a mastigação e esses alimentos têm a ver com a fala?

Para mastigar, é necessário associar os movimentos da língua, dos lábios e da mandíbula.

Essa estrutura é fundamental para a preparação e estimulação da musculatura da boca para a articulação. São os movimentos mastigatórios que desenvolvem os movimentos refinados da fala.

Por isso é importante introduzir alimentos sólida na dieta da criança.

Crianças que só consomem alimentos pastosos ou liquidificados põem vir a apresentar uma hipotonia dos músculos faciais que gera problemas na articulação dos sons da fala.

Geralmente a preguiça de mastigar acontece pela hipotonia dos músculos da língua, lábios e bochecha, onde os músculos ficam flácidos, fazendo com que a criança não feche os lábios e respire pela boca.

A respiração oral deixa ainda mais flácidos os músculos e a respiração nasal fica mais difícil.

Para diminuir e prevenir esse problema, existem algumas dicas de alimentação:

  1. Amamentação: o aleitamento materno é o primeiro modo de se desenvolver os músculos orais, sua coordenação com a respiração e crescimento da face.
  2. Mesmo antes do aparecimento dos dentes podemos oferecer alimentos sólidos, sob o controle rigoroso do responsável, para a criança segurar, levar a boca e “chupar.”
  3. Mesmo tendo somente os dentes da frente, a criança já exercita o ato de mastigar, mantendo contato entre as gengivas, o que estimula o crescimento dos dentes posteriores.
  4. Nunca use o liquidificador para fazer as papinhas do bebê! É infinitamente melhor para seu filho, que você utilize a peneira.
  5. Quando a criança estiver mais acostumada com a nova consistência, passe só a amassar a comida.
  6. Substitua, o quanto antes, a mamadeira pelo copinho.
  7. Se usar chupeta, que seja por pouco tempo.
  8. Estimule a criança a mastigar bem, para não engolir a comida inteira e correr o risco de asfixiar.
  9. Faça da hora de comer um momento de carinho. Ter hora para as refeições e sentar-se à mesa mesmo com o cadeirão devem ser hábitos estimulados desde pequeno.
  10. Comer em frente à televisão, música alta ou fazer brincadeiras na hora da comida pode distrair a criança que não mastigará direito.
  11. Com um ano e meio a dois, a criança já está apta a comer a mesma comida do adulto, sem a mãe precisar amolecer ou amassar.